2 de setembro de 2016








Exposições, músicas e apresentações de dança, foi assim que ficou marcada a Mostra Cultural Escola Maria Dulce, que aconteceu na última quinta-feira 01/09, nos dois períodos (manhã e tarde). Os alunos, professores e funcionários, ficaram envolvidos na organização da escola e prepararam tudo de forma bem criativa para receber os familiares e convidados.


Os trabalhos expostos pelos alunos, com temas pertinentes sobre folclore, o caipira, arte africana, poemas e poesias, entre outros, encantaram a todos que por aqui passaram. Os olhos dos pais brilhando ao ver o resultado dos filhos apresentado, também foi bem visível .







Outro destaque do evento, foram as apresentações de dança dos estudantes do 8º ano e, para completar o dia, tivemos uma apresentação musical do cantor Rafinha Acústico, que prontamente aceitou nosso convite e abrilhantou a mostra, envolvendo os alunos com musicas bem animadas, sendo algumas de sua autoria. Rafinha, recebeu como forma de agradecimento, uma homenagem dos nossos alunos surdos que interpretaram em LIBRAS a música “Fim de Ano”, um dos maiores sucessos do artista.


Postado em sexta-feira, setembro 02, 2016 por emef Maria Dulce

Comentários


Na intenção de valorizar a aprendizagem dos alunos que obtiveram as melhores notas no 2º Trimestre, a E.M.E.F. Maria Dulce David de Paiva, preparou uma homenagem aos alunos nota dez.

Mas o que seria o ‘Aluno nota dez’?





A equipe gestora avalia as notas de todos os alunos do 3º ao 9º ano e em todas as matérias. O estudante que obteve a melhor média geral dentro de seu ano, é então, considerado o Aluno Nota Dez do trimestre.







Os alunos receberam das mãos das coordenadoras uma medalha como forma de homenagem pelo bom desempenho nas atividades e nas provas, já os pais receberam um diploma por terem instruído e acompanhado de perto os estudos do filho(a).




O mérito vai também aos professores que passam todo seu conhecimento e se dedicam à educação dos seus alunos. Também a toda a equipe gestora, pelo apoio aos professores, conduzindo seriamente os projetos realizados em cada semestre.

Veja abaixo os alunos destaques no 2º Trimestre.

                              
Giovanna Fernandes da Silvas – 3º A
Maria Luiza da Silva Calderelli Fabricio – 4º A
Thiago Zanco Conceição -  5º A
Laura Marcondes Petersen Alves – 6º B
Larissa Ribeiro dos Santos – 7º D
Nicolly Silva de Morais – 8º A

Rodrigo Souza Siqueira – 9º A

Postado em sexta-feira, setembro 02, 2016 por emef Maria Dulce

Comentários

16 de agosto de 2016

                                                                       
                                                                                                                                                                          

Os alunos do programa do Mais Educação, receberam a visita do escritor angolano Patrício Batsîkhama, que além de escritor é Professor Universitário e critico literário.

Essa foi a segunda vez que Batsîkhama, vem à Escola Maria Dulce. No reencontro com os alunos, o professor trouxe o tema “Diálogo na Construção de Espaço – Comum”, oferecendo a eles momentos de aprendizagem e autoconhecimento.

No intuito de focar na implantação da cultura e da história da África e afro-brasileira regida na lei de nº 10,639/2003 que torna obrigatório esses estudos nas escolas, Batsîkhama viaja a vários lugares levando esse conhecimento e enfatiza que o diálogo é à base do crescimento de uma nação.


O bate-papo com o professor, além de tudo rendeu varias risadas e até um coral improvisado foi feito por eles. As crianças agradeceram muito a visita e já estão ansiosos pelo retorno do Patrício Batsîkhama.


                                                 Por Edmilson Oliveira (texto/imagem)

.

Postado em terça-feira, agosto 16, 2016 por emef Maria Dulce

Comentários

12 de agosto de 2016

                                                                                Edmilson Oliveira
                                          Gilsinho na sala de aula do 6º A

O dia 10 de agosto ficou marcado com uma visita histórica para a E.M.E.F. Maria Dulce David de Paiva. A Tocha Olímpica, símbolo máximo das Olímpiadas foi trazida para a escola por um dos condutores que percorreu com ela pela cidade de Taubaté, o Ex-jogador do Esporte Clube Taubaté Gilson Domingos Rezende Agostinho (Gilsinho). 

Gilsinho teve dezoito anos de carreira como futebolista defendendo também outros clubes como  XV de Jaú, São Bento de Sorocaba e Londrina, além do Wuhan Huanghelou e do Henan Jianye, ambos da China. Hoje ele atua novamente no Taubaté como Gerente de Futebol.

A vinda de Gilsinho com a tocha começou com um projeto realizado pelos alunos dos 5º Anos referente aos esportes da olimpíada. Em sua primeira visita falou com os alunos da importância do esporte na vida de cada um, contou suas experiências, enfatizando sua carreira que começou com um sonho de criança, sendo sempre incentivado pelo pai.

Como havia prometido aos alunos, Gilsinho passou em todas as salas com o símbolo, causando momentos de grandes emoções, principalmente aos amantes do esporte.

                                      Edmilson Oliveira
                                      Partida com os alunos do 5º A

Na oportunidade, o craque do Taubaté jogou uma partida com os alunos do 5º Ano A. As crianças ficaram extasiadas com a participação do atleta e comemoravam a cada passe e a cada gol.

O esportista falou também da emoção de ter sido escolhido como um dos condutores da Tocha Olímpica, podendo assim, representar a cidade onde iniciou sua carreira e levantar a bandeira de Taubaté, mostrando o valor do esporte principalmente às crianças que têm o mesmo sonho que o dele.

Para Gilsinho ter sido um dos indicados a carregar o símbolo histórico mundial, foi além de uma realização profissional e sente parte da história das Olimpíadas. “Me sinto muito feliz ao saber que faço parte dessa história e por ter carregado o símbolo máximo.” Comenta Gilsinho.

Por Edmilson Oliveira


                                       Edmilson Oliveira
                                       
                                           Gilsinho e Profº Guilherme (Ed. física) com os alunos 
                                                          do 3º Ano A.

Postado em sexta-feira, agosto 12, 2016 por emef Maria Dulce

Comentários

21 de julho de 2016



Você sabe o que realmente é a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS)? Não?
Aproveito, então, para trazer algumas curiosidades em forma de tópicos sobre o assunto. Assim, você conseguirá entender e tirar suas dúvidas, quanto a complexidade, os trabalhos e projetos realizados na Rede Municipal de Ensino em Tremembé.

 - Primeiramente, precisamos entender a LIBRAS como uma língua e não como uma linguagem, ou seja, ela possui uma estrutura gramatical própria;

- A língua brasileira de sinais é a forma gestual de comunicação usada pela maioria dos surdos;

- LIBRAS é a segunda língua oficial do Brasil, conforme a LEI Nº 10.436, DE 24 DE ABRIL  DE 2002;

- Outra curiosidade é que: Os sinais têm diferentes significados, variando de região para região; e

- Todos os alfabetizados em português que também falam LIBRAS, são considerados bilíngues.

É claro, que as explicações vão muito além disso, pois, ela está sempre se inovando, com novos sinais e expressões. Pensando em todas as dificuldades na alfabetização dos alunos surdos da rede, foi criado um projeto, por iniciativa da Daniela Renó, coordenadora técnico pedagógica, na Secretaria Municipal de Educação (SME), juntamente com Michelle Moreira, coordenadora do fundamental I da EMEF Profª Maria Dulce David de Paiva. O Projeto Escola Bilíngue, tem como objetivo unir todos os alunos surdos do município em um só lugar, tornando a Escola Maria Dulce, a unidade polo do projeto, pois a mesma atende estudantes de 1º a 9º ano do ensino fundamental.

O projeto tem como intuito promover a comunicação, a interação, o desenvolvimento e a relação sociocultural dos surdos. Para Michelle, a Escola Bilíngue trouxe aos alunos ouvintes a oportunidade de entender e respeitar outra língua e uma nova forma de inclusão entre eles. “Antigamente a Libras para os alunos ouvintes, era algo totalmente novo, mas, hoje em dia já é tudo muito natural”. Comenta Michelle.
O programa atende também toda a comunidade escolar, por meio do curso de LIBRAS oferecido para as famílias, professores e funcionários da instituição. Com duração de um ano letivo, ele acontece todas as segundas-feiras das 18:30h às 21:30h na EMEF Profª Maria Dulce David de Paiva, que fica localizada à rua Iraí, 100 – Pq. Das Fontes. Ministrado pela Coordenadora Michelle (pós-graduada em LIBRAS), que conta com o auxilio do ex-aluno Dener Willian Guilherme Leite. O estudante que hoje cursa o Ensino Médio é surdo e voluntariamente participa todas as semanas das aulas, dando apoio aos alunos. O curso está em andamento, é gratuito e os alunos recebem ao final um certificado cedido pela SME.

Mesmo com todos os trabalhos realizados e dedicados em prol de uma melhor alfabetização dos surdos, Michelle conta que ainda estão caminhando para a concretização do projeto e, que seu maior sonho é ver a escola 100% bilíngue.


Por Edmilson Oliveira





                                     IMAGENS DO CURSO DE LIBRAS




Postado em quinta-feira, julho 21, 2016 por emef Maria Dulce

Comentários

11 de julho de 2016



A Olimpíada de Tabuada 2016 organizada pela Secretaria Municipal de Educação (SME) e por uma equipe técnica teve finalista e ganhador da EMEF Maria Dulce David de Paiva. Ao todo, foram quatro alunos participantes, sendo um em cada categoria, as quais foram definidas como Categoria A (3º Ano), Categoria B (4º e 5º Ano), Categoria C (6º e 7º Ano) e Categoria D (8º e 9º Ano).

Nosso aluno destaque foi o Ruan de Macedo Padilha da Silva (6º C), 1º LUGAR da categoria C. Tudo isso foi possível, pelo trabalho e ajuda de toda a equipe gestora e de professores que treinaram os competidores: Lucia Helena Chagas (diretora), Vanessa Corrêa da Silva (Coordenadora Fundamental II), Michele Moreira (Coordenadora Fundamental I), Marcelo Jesus Garcia (Profº de matemática).

Os estudantes participaram de uma olimpíada escolar, como fase de seleção e de preparação. Depois de selecionados, os alunos continuaram os treinamentos junto com os professores e coordenadoras.


Parabenizamos todos os alunos que participaram de todas as fases e de todas as escolas envolvidas.  

Postado em segunda-feira, julho 11, 2016 por emef Maria Dulce

Comentários